Grupos de Pesquisa

Audiosfera - Música, Tecnologia e Cultura 

Líderes:  Messias Guimarães Bandeira e Marise Berta de Souza
Ementa: Investigação permanente das principais mudanças ocorridas na cadeia de produção musical e nos âmbitos culturais correlatos a esta, a exemplo do audiovisual, dos games e das indústrias criativas, a partir da apropriação social da tecnologia. Nesse sentido, o grupo analisa os diversos aspectos tecnológicos, culturais, estéticos, políticos e econômicos que se prestam ao estudo da relação da música com a cultura digital, a economia política da comunicação, a imagem, os direitos autorais, a propriedade intelectual, entre outros elementos cujo corpo teórico tem alicerçado as pesquisas das novas formas de se fazer, organizar e experimentar a cultura. O grupo de pesquisa possui uma comunidade online, tendo como suas mais recentes repercussões a organização do Digitalia – Congresso/Festival Internacional de Música e Cultura Digital e a edição da revista Kinodigital.

Corpo & Cultura

Líder:  Renata Pitombo Cidreira.
Ementa: Considerando-se os diversos níveis de articulação que envolvem a compreensão do corpo, como instância significativa, em suas modulações e aspectos interseccionais, podemos observar que, a despeito do relativo acúmulo que a produção acadêmica tem realizado, destaca-se a necessidade de aprofundamento de investigações que incorporem sensibilidade crítica e teórica para os modos de experimentações e vivências corporais, em contextos diversos. São de interesse do Grupo os estudos de gênero, os modos sociais de exercício da sexualidade; a relação entre corpo, gerações e estilo de vida; as disposições sociais que produzem o corpo vulnerabilizado de mulheres, negros e dissidentes sexuais; as políticas visuais da corporeidade e sua interação com o universo das mercadorias e com o campo cultural-artístico; bem como o significado do corpo e do transe em contextos religiosos; as estéticas performativas do corpo na cultura e nas diversas tradições religiosas e identitárias que compõem a diversidade brasileira. 
 

Cultura e Ciência 

Líder:  Simone Terezinha Bortoliero 
Ementa: O grupo reúne um conjunto de pesquisadores de diferentes áreas de conhecimentos, numa visão multidisciplinar, tendo como perspectiva investigações sobre a cultura científica, a divulgação científica, o jornalismo científico e a educação científica no Estado da Bahia. Desde sua criação, em 2004, vem contribuindo com uma nova vertente de pesquisa, formando mestres/as e doutores/as que investiguem as representações de temas da saúde, do meio ambiente e de temas científicos na interface com as mídias locais e nacionais. Atua também no sentido de avaliar as políticas públicas de ciência, tecnologia e inovação no Estado da Bahia. Realiza trabalhos inter e multidisciplinares com pesquisadores/as de diferentes unidades no campo da educação científica, cujo objetivo é fomentar o interesse da juventude por temas de ciência. Além da realização de pesquisas, o grupo é responsável pela criação e manutenção da Agência de Notícias em CT&I - Ciẽncia e Cultura da Universidade Federal da Bahia.

Cultura, Política, Lógicas Identitárias e Produtivas

Líderes: Leandro de Paula (UFBA) e João Domingues (UFF)
Ementa: O grupo se dedica a analisar a dinâmica mutuamente constitutiva da cultura e da política, observando os enfrentamentos entre identidades e diferenças. Em registro interdisciplinar, buscamos reconhecer as formas desiguais de inscrição e legitimação das identidades culturais, e os processos pelos quais as reivindicações por reconhecimento ganham a cena pública. O grupo abriga pesquisas dedicadas, especialmente, às tensões entre a questão religiosa e a esfera pública, no esforço de detectar condições e especificidades do secularismo no Brasil.

Epistemologias da subalternidade no cinema brasileiro contemporâneo

Líder: Maurício Matos
Ementa: O presente campo de investigação acolhe projetos que discutem diferentes configurações do discurso do subalterno no cinema brasileiro contemporâneo, de forma articulada à leitura crítica dos mecanismos de subalternização postos em movimento na construção/desconstrução da cultura política recente no Brasil, em especial, a partir dos anos 1980 com a Lei da Anistia e o início da redemocratização como processo político instituído. Tal processo foi acompanhado por toda uma malha micropolítica de novas relações, que deslocam os mecanismos de construção do subalterno existentes em função do surgimento histórico do crime organizado nas periferias das grandes cidades brasileiras. Existe a democracia e o crime organizado como processos históricos coetâneos. Interessa o subalterno em contexto pós-autoritário, tendo em vista a hibridização de violências históricas na cultura e na sociedade brasileiras com a emergência de fações criminosas que reinventam, no registro audiovisual, micropolíticas da subjetividade como desvios em relação ao processo político dominante. Entre a reconstrução do Estado democrático e o desmantelamento de registros já em circulação, o cinema brasileiro apresenta-se como um campo de pesquisa fragmentado, que emerge através da articulação de tal contexto histórico-político-cultural no Brasil com a análise-teoria-crítica das epistemologias pós-autoritárias no registro cinematográfico, demarcando um território multidisciplinar, fragmentado, rasgado pelo desmonte pós- estruturalista do discurso dentro e fora do filme.
 

Espetáculos Culturais e Sociedade

Líder: Leonardo Vincenzo Boccia
Ementa: Criado em 2006, na UFBA, pelo Professor Dr. Leonardo V. Boccia, e reconhecido pela instituição, ECUS é um grupo interdisciplinar de pesquisa na área da cultura, arte e tecnologia. O grupo estuda espetáculos, eventos e produções culturais espetaculares sob as perspectivas estética-técnica-tecnológica, bem como as teorias da música nos meios da comunicação de massa, música e cultura, sound studies e formação dos espetáculos em níveis socioculturais distintos. Com o apoio do CNPq e da CAPES, membros do ECUS tem participado de eventos multidisciplinares e atividades académicas em cooperação internacional com as Universidades de Roma ¿La Sapienza¿, Departamento de Artes e Ciências do Espetáculo; Jacobs University Bremen e Communication University China. O atual projeto de pesquisa do ECUS volta-se para o estudo da neuromusic como plataforma de observação e análise dos efeitos de transferência da música e das artes cênicas e visuais na formação cultural contemporânea e na Digital Bildung.
 

Etnomidia - Grupo de Estudos em Mídia e Etnicidades

Líder: Fernando Costa da Conceição e Richard Santos
Ementa: Compreender as interfaces entre a produção das mensagens comunicacionais, principalmente nas midias massivas, com a manutenção ou superação dos estereótipos negativos construídos, através de diferentes discursos, contra grupos étnicos ou "raciais" historicamente discriminados em sociedades de tradição escravista como Brasil. E com isso buscar contribuir para uma melhor representação da imagem desses grupos nos meios de comunicação, assim como na formação dos profissionais de mídia que atuam ou irão atuar no mercado, via construção de aportes teóricos e didáticos.
CNPq: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8284510737859889

LOGOS - Comunicação Estratégica, Marca e Cultura

Líder:  Adriano de Oliveira Sampaio
Ementa: Pesquisa 1 - Comunicação Estratégica e Marca Lugar
O grupo investiga as estratégias de visibilidade e autopromoção de duas metrópoles locais (Salvador e São Paulo) e duas metrópoles fora do país Lisboa (Portugal) e Barcelona (Espanha) a partir da dimensão cultural. Para tanto, busca analisar discursivamente as suas campanhas de autopromoção desenvolvidas pelas suas instâncias públicas de promoção ao turismo. Como objetivos específicos pretendemos: I) realizar levantamento sobre as políticas culturais desenvolvidas pelas secretarias municipais de cultura (2014-2015) que tenham como intenção estabelecer um vínculo entre o consumo cultural na cidade, na perspectiva do cidadão e do turista. II) Observar a imagem de marca das duas cidades, por intermédio do vínculo que estabelecem com a cultura enquanto direito constituído dos seus habitantes e visitantes. O corpus de análise dessa etapa da investigação serão os planos de turismo e de cultura das respectivas capitais. O presente projeto de pesquisa, em nível Pós Doc, foi iniciado na ECA/USP, sob a supervisão da Prof.a Dra Margarida Maria K. Kunsch (2016-2017).
Pesquisa 2 - Comunicação estratégica e interação com a sociedade em questões ecológicas e evolutivas
Promover interface entre INCT e agenda midiática e social, buscando fomentar discussão pública sobre conhecimento científico construído para/com a sociedade em relação à ecologia e a conservação da biodiversidade. Marco teórico: O direito à comunicação é um dos direitos básicos do cidadão e, assim, um dever do estado, constituindo-se numa continuação do desenvolvimento da liberdade e democracia. Ele coroa as conquistas dos direitos civis, pertinentes ao indivíduo; direitos políticos, relativos à ação do cidadão na condução política do Estado; e direitos sociais, marcados pelo advento e implicações da revolução industrial. Subprojeto integrador 4 do INCT no: 465767/2014-1 - "Comunicação estratégica e interação com a sociedade em questões ecológicas e evolutivas".
 

Memória e Identidade - ativismos e políticas

Líder:  José Roberto Severino e Raquel Alvarenga Sena Venera
Ementa: O grupo investiga os temas que relacionem memória e identidade nos mais diversos olhares sobre a produção cultural contemporânea. Contempla trabalhos do patrimônio cultural material e imaterial e da memória social, que possam fornecer elementos para a definição e redefinição de políticas públicas no campo da cultura e que expressem a capacidade do ser humano de sobreviver no meio em que vive, constituindo-se em registro da história da cidade, país, nação e da vida das pessoas. Busca ainda reunir experiências recriadoras de processos culturais em comunidades/grupos tradicionais; a diversidade e o patrimônio cultural nas narrativas de pertencimento contemporâneas.

Núcleo de Pesquisa e Extensão em Culturas, Gêneros e Sexualidades (NuCuS)

Líderes:  Leandro Colling e  Djalma Thürler 
Ementa: Instituído no dia 16 de outubro de 2018, através da Resolução Nº 03/2018, o NuCuS é resultado do crescimento e transformação do Grupo de Pesquisa Cultura e Sexualidade (CuS), criado em 2007 na UFBA. O objetivo geral  do núcleo é fomentar e executar atividades de pesquisa e extensão que tratam sobre as relações entre as culturas, os gêneros e as sexualidades e ainda dialogar com a Universidade, com os poderes públicos, com as entidades e organizações da sociedade civil com vistas à promoção da plena cidadania de todas as pessoas. Cerca de 50 colaboradores, entre docentes, técnico-administrativos, discentes da UFBA e de outras instituições, além de pessoas da comunidade, fazem parte do NuCuS, dividindo-se em integrantes permanentes e integrantes colaboradoras.
 

Miradas

Líder:  Linda Rubim
Ementa: Grupo de pesquisa que congrega uma série de projetos de pesquisas que têm a finalidade de refletir sobre a articulação entre Mídia, Cultura e Gênero.
 

Observatório da Diversidade Cultural

Líder: José Márcio Barros
Ementa: O Observatório da Diversidade Cultural (ODC) está dividido em duas frentes complementares e dialógicas. A primeira diz respeito a sua atuação como organização não governamental que desenvolve programas de ação colaborativa entre gestores culturais, artistas, arte-educadores, agentes culturais e pesquisadores, por meio do apoio dos Fundos Municipal de Cultura de Belo Horizonte e Estadual de Cultura de Minas Gerais. A segunda é constituída por um grupo de pesquisa formado por uma rede de pesquisadores/as, que desenvolve seus estudos em várias instituições de ensino, investigando a temática da diversidade cultural em diferentes linhas de pesquisa. O objetivo, tanto do grupo de pesquisa quanto da ONG, é produzir informação e conhecimento, gerar experiências e experimentações, atuando sobre os desafios da proteção e promoção da diversidade cultural.
 

Observatório Estadual de Economia Criativa  (OBEC)

Líder:  Messias Guimarães Bandeiras 
Vice-líder: Daniele Pereira Canedo 
Ementa: O Observatório Estadual de Economia Criativa, sediado no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, da Universidade Federal da Bahia, é um dos espaços acadêmicos vinculados às universidades federais do Brasil, com objetivo de produzir informações e conhecimento e gerar experiências e experimentações sobre a economia criativa local e estadual. O Observatório tem como escopo a promoção de investigação e de atividades de extensão no âmbito da Economia Criativa. O OBEC-BA conta com seis polos regionais de articulação e irradiação de atividades, que irão compor uma articulação direta no apoio às atividades de pesquisa e extensão, através dos campi da UFBA (Salvador, Vitória da Conquista e Barreiras) e entidades associadas ao projeto (UFRB - Cachoeira, UNIVASF - Juazeiro, Prefeitura de Lençóis).
 

Observatório de Políticas e Gestão Culturais

Líderes: Antonio Albino Canelas Rubim, Renata de Paula Trindade Rocha de Souza e Gisele Marchiori Nussbaumer
Ementa: O grupo de pesquisa desenvolve análises e estudos sobre políticas e gestão da cultura, em especial na circunstância social brasileira. Reúne pesquisadores/as, em diferenciados momentos de aprendizado e experiência, dedicados ao estudo de formulação, planejamento, execução, monitoramento e avaliação de políticas e gestão culturais, gerais e especializadas, bem como de temas afins, a exemplo de: agentes, grupos, instituições e espaços culturais; cooperação e intercâmbio culturais; circulação e distribuição da cultura; crítica cultural; direitos culturais; economia criativa e da cultura; financiamento e fomento à cultura; formação em cultura; fruição e consumo culturais; institucionalidade cultural; organização do campo cultural; participação cultural; patrimônio cultural; programação cultural e territórios culturais. O trabalho de investigação está sempre associado à formação de pesquisadores e a divulgação dos resultados das suas pesquisas em uma perspectiva de compromisso com a sociedade.
 

Permanecer Milton Santos

Líder: Fernando Costa da Conceição
Ementa: A pesquisa deve dar ênfase ao entendimento de Milton Santos sobre o papel da informação e da comunicação na globalização, e as funções do espaço e das técnicas na configuração do novo momento da economia capitalista globalizada. A figura de Milton Santos, como jornalista, intelectual e negro no Brasil, também deve ser estudada pelo grupo de pesquisa. O grupo Permanecer Milton Santos visa fortalecer a linha de pesquisa que o líder do grupo já desenvolve, como atividade docente de pesquisa e formação acadêmica, no âmbito do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da UFBA, nas áreas de cultura e sociedade, utilizando-se de técnicas de apuração jornalística, com interfaces nos estudos sobre mídia e etnicidades no Brasil e outras partes do mundo. A pesquisa deve servir, à produção e execução da biografia de Milton Santos. O líder do grupo recebeu tal responsabilidade do próprio Milton Santos, de quem possui documento de autorizando-o a escrever sua biografia, a única assim definida. A pesquisa total é prevista ser concluída em 2010, para ser publicada em forma de livro até 2011, quando se completa dez anos da morte de Milton Santos em São Paulo. Milton Santos foi um dos mais preparados críticos da forma como vem se dando a atual fase da globalização. Destacou-se internacionalmente como intelectual autônomo, sendo convidado de honra para a organização que lançou o Fórum Social Mundial. Foi agraciado com vários prêmios acadêmicos, entre os quais o Vautrin Lud (1994), equivalente na Geografia ao Nobel, ganho pela primeira vez por um intelectual latinoamericano. E ainda assim o conhecimento do seu legado permanece restrito, inclusive na Bahia. Para a sociedade em geral, ter acesso às idéias sobre o papel da comunicação no modelo de globalização atual, bem como ter acesso à biografia de Milton Santos deve servir ao fortalecimento da noção de cidadania.
CNPq: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4549419876524282

Práticas e produtos discursivos da cultura midiática

Líder: Annamaria da Rocha Jatobá Palacios e Rita de Cássia Aragão Matos
Ementa: O grupo visa, primordialmente, a interlocução e troca de experiências e a busca de complementaridades e pontos de contato entre os temas de investigação dos/as participantes: professores/as coordenadores/as, outros/as professores/as, doutorandos/as, mestrandos/as, graduandos/as e pesquisadores/as oriundos/as de outras unidades da Universidade Federal da Bahia, bem como de outras instituições de ensino. A interlocução contínua e sistemática deve permitir o fortalecimento de produções bibliográficas conjuntas, bem como incentivar e facilitar a organização de eventos na área de conhecimento do grupo. Outra contribuição diz respeito a identificação e incorporação de possíveis talentos acadêmicos, a exemplo de estudantes de graduação, como bolsistas PIBIC e estudantes em fase de elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso, TCC. O grupo vem funcionando como um espaço de agregação e formação de novos pesquisadores.
 

Voz, Corpo e Memória na Trama Poética

Líder: Edilene Dias Matos
O Grupo de Pesquisa Voz, Corpo e Memória na Trama Poética busca trazer à cena a voz como espaço de fronteiras entre culturas, como um tecido de tramas entre memória, história, teatralidade corporal, olho e letra, com base na investigação das diferentes vozes que permeiam o que se considera poéticas das culturas orais, que atravessam o presente, mas formam também teias de contato com aquelas vozes que se inscreveram na história. Tais vozes estão continuamente sujeitas a processos de recriação e rearranjo de matrizes, com a finalidade de compor e recompor a trama intertextual que a práxis poética inscreve no movimento interminável das culturas, sempre em formação e diálogo.
 

 

Português, Brasil